terça-feira, 8 de janeiro de 2013

PROJETOS MELIPÔNICOS



Link para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Topo do Site


PROJETOS EM ANDAMENTO


Manejo racional de abelhas indígenas sem ferrão entre agricultores familiares do nordeste do Estado do Pará 

Patrocínio: Edital CT-Agro/MDA/MCT/CNPq   Nº 020/2005 - Apoio a Projetos de Geração e Disponibilizaçãode Tecnologias de Base Ecológica Apropriadas à Agricultura Familiar
Código Embrapa: (não definido)
Processo: 553729/2005-5
Coordenador: Dr. Giorgio Cristino Venturieri
Colaboradores: Dr. Álvaro Alberto de Araújo (UFPA), MSc. Marco António Nobre Pontes (UFPA), Dra. Márcia Correa Rego (UFMA), Sandra Maria Silva (CAOEPA)
RESUMO: A região do Nordeste Paraense é constituída principalmente de vegetação secundária debaixo porte e diferentes cultivos de culturas alimentares, destacando-se mandioca, milho, feijão. A vegetação natural está limitada a florestas de mangue, de várzea, de igapós e de matas ciliaresde igarapés, inapropriadas a agricultura tradicional. A intensa utilização da terra, decorrente do aumento populacional, provocou a divisão dos lotes e a diminuição do período de plantio da agricultura itinerante. Esta prática induziu o declínio da produtividade agrícola, expressa pela diminuição da fertilidade do solo e perda de nutrientes, inviabilizando a economia agrícola tradicional. As populações do interior da Amazônia costumam derrubar árvores para a extração demel, provocando a morte da abelhas e a derrubada das árvores que elas habitavam. Agindo desta maneira produzem mel de baixa qualidade, com impurezas e contaminado por organismos patogênicos, inviabilizando a sua comercialização formal e provocando danos ambientais. Tanto a vegetação secundária como as de matas inundáveis, possuem qualidades que favorecem a criação das abelhas, contendo uma flora diversificada e rica em recursos para as abelhas. A região também apresenta uma grande diversidade de abelhas nativas, boas produtoras de mel. O objetivo da proposta é estimular os produtores locais a utilizar recursos naturais através do manejo sustentável e racional das abelhas indígenas sem ferrão, fornecendo um mel de melhor qualidadehigiênica, orgânico, ecologicamente correto, de alto valor nutricional e econômico. As metas da proposta são: Estudar a biologia de três espécies de abelhas sem ferrão; Confecção de 400 caixas; Impressão de 1000 livros; Capacitação de 40 famílias (através de cursos e assistência técnica); Enriquecimento do pasto apícola através da produção de mudas para distribuição; Construção de um meliponário modelo e de produção de matrizes na Embrapa Amazônia Oriental e Repasse de tecnologia de colheita, embalagem e comercialização de mel e pólen.

PROJETOS CONCLUÍDOS


Alternativas de sustentabilidade à comunidade na Unidade de Conservação em estabelecimento, Balsas-Maranhão.

Patrocínio: CNPq
Código Embrapa: (não definido)
Processo: 505503/04 - 2
Coordenador: Dra. Márcia Maria Corrêa Rêgo.
Colaboradores: Dra. Patrícia Albuquerque (UFMA), Dr. Nivaldo Figueredo (UFMA), Dra. Larisa Barreto (UFMA), Dr. Giorgio Venturieri (Embrapa Amazônia Oriental).

Objetivos:Criar alternativas de sustentabilidade para a comunidade, no entorno da unidade em estabelecimento e complementar os estudos técnicos necessários para a criação desta unidade de proteção integral na Serra do Gado Bravo, Balsas, Maranhão. Objetivos específicos: 1- Inventariar, diagnosticar e selecionar espécies deabelhas sem ferrão para a criação; 2- Avaliara técnicas de manutenção e implantação de meliponários; 3- Estudar a produção do mel e pólen e métodos de armazenamento destes produtos; 4- Capacitar e treinar os produtores nas atividadede meliponicultura regional; 5- Relatar sobre os substratos de nidificação; 6- Fazer análise polínica dos potes das colméias inventariadas e/ou a serem selecionadas.

Produção, caracterização e tecnologia aplicada a méis de abelhas indígenas semferrão produzidos por pequenos agricultores na Amazônia

Patrocínio: MCT/MDA/SECIS/SAF/EMBRAPA - Seleção de Projetos para Disponibilização e Apropriação deTecnologias para Agricultores Familiares Brasileiros
Código Embrapa: 04.05.0.81.00
Coordenador: Dr. Giorgio Cristino Venturieri
Colaboradores: Instituto Agroecologico da Amazônia - IAAM

Manejo de polinizadores autóctones de açaízeiro (Euterpe oleracea Mart.) na Amazônia Oriental

Patrocínio: PROBIO/MMA - FUNAGRI (Valor financiado: R$ 125.666,70)
Código Embrapa:03.0203.900.00
Período: Set/2004 - Agos/2005
Coordenador: Dr. Giorgio Cristino Venturieri
Colaboradores: Dr. Oscar Lameira Nogueira, MSc. José Edmar Urano de Carvalho, MSc. Silvane Tavares Rodrigues
RESUMO: O açaizeiro é uma palmeira nativa da Amazônia, largamente utilizada pela população debaixa renda, que o comercializa, em sua maioria, informalmente. Segundo IBGE (2002) o açaí é o produto florestal não madeireiro mais importante da região amazônica e terceiro maior do Brasil.Devido ao aumento do consumo local e a exportação para outros estados brasileiros, foi grande o aumento das áreas plantadas, em sua maioria, no nordeste paraense. O nordeste paraense, pela sua antiga ocupação, é detentor das áreas mais alteradas de toda a região amazônica. Nestas áreas, as populações de abelhas do gênero Melipona, polinizadores naturais do açaizeiro, estão ameaçadas, principalmente, pela falta de árvores com ocos, necessárias a sua nidificação. Apesar da existência de vasta literatura sobre diversos aspectos da biologia das abelhas sem ferrão brasileiras (Soares & De Jong 1992), poucas são as iniciativas que tiveram por objetivo investigar o potencial econômico destas abelhas, seja para produção de mel ou seu emprego na polinização deculturas agrícolas. Os meliponíneos constituem grupo muito diversificado de abelhas, ocorrendo em toda a região tropical do globo, mas é na região amazônica que é encontrada a maior diversidadede espécies. Conseqüentemente, este grupo é responsável pela polinização de um grande númerode plantas nativas. Os meliponíneos são insetos sociais que vivem em colônias perenes, adaptando-se muito bem em ninhos artificiais, o que facilita o seu manejo na polinização dirigida. São adaptadas a visitar um grande número de plantas, não possuem ferrão, podem ser facilmente transportadas. O objetivo geral da proposta é revisar a biologia reprodutiva do açaizeiro, consolidar e divulgar um método de criação e multiplicação de ninhos de duas espécies (Melipona fasciculata eM. flavolineata) e avaliar a influência de sua introdução no aumento da produção de frutos.

Meliponicultura na Floresta Nacional do Tapajós: Uma Doce Alternativa.

Patrocínio: ProManejo/FLONA-Tapajós/MMA - ASMIPRUT (Valor financiado:R$ 200.429,00)
Código Embrapa: 03.04.0.01.41-00
Período: Out/2004 - Mar/2006
Coordenador: Zedequias Pedroso da Silva (ASMIPRUT)
Colaboradores: Dr. Giorgio Venturieri (Embrapa Amazônia Oriental, Belém, PA), José Fernando Santos Rebello (IBAMA-Floresta Nacional do Tapajós, Santarém, PA).

WebBee: Uma rede de informações sobre biodiversidade brasileira

 


Patrocínio: CNPq/SocInfo
Período: Dez/2001 a Nov/2003
Coordenadores: Dr. Antônio Mauro Saraiva (EP/USP); Dra. Vera Lúcia Imperatriz Fonseca (IB/USP)

Manejo de Florestas Secundárias para Agricultores Familiares do Nordeste Paraense
Valor Financiado: US$ 275.000,00. Patrocínio: PROMANEJO/PPG7
Código na Embrapa: 08.2002.041
Período: Jun/2001 - Jun/2003
Coordenadora: MSc. Marli Mattos e MSc. Maria do Socorro Gonsalves Ferreira (CPATU)

Caracterização e avaliação de abelhas indígenas e de plantas melíferas utilizadaspara a produção de mel entre os pequenos agricultores da Amazônia Oriental

Valor financiado: R$ 39.969,10. Processo Nº 52.0794/01-0 CNPq/COAGR (Agricultura Familiar).
Código na Embrapa: 030203900
Período: Jan/2002 - Dez/2002
Coordenador: Dr. Giorgio Cristino Venturieri
Colaboradores: Dra. Patrícia Maria Drumond, MSc. Silvane Tavares Rodrigues, Dr. Mário Augusto Gonçalves Jardim e Dra. Raimunda Conceição de Vilhena Potiguara.

PROJETOS APROVADOS AGUARDANDO DESEMBOLSO


Nenhum comentário:

Postar um comentário