segunda-feira, 24 de janeiro de 2011




Produtos das Abelhas



Chegamos ao ponto de mais interesse, que trata exatamente, dos produtos das abelhas: mel, pólen, cera, geléia real, própolis e o próprio veneno. Há ainda o trabalho de polinização das abelhas que, para a produção agrícola, tem valor incomparável, do ponto de vista econômico. Pode- se dizer mesmo que, sem abelhas, não há agricultura.


O MEL
Conhecido desde a antigüidade, o mel durante muito tempo, o único produto doce usado pelo homem em sua alimentação, até ser substituído, gradualmente, por açucares refinados manufaturados, de qualidade incomparavelmente inferior, como os extraídos da cana-de-açúcar e da beterraba.
O mel é, na verdade o único produto doce que contém proteínas e diversos sais minerais e vitaminas essenciais à nossa saúde. É ainda um alimento de alto potencial energético e de conhecidas propriedades medicinais. Além disso, o mel é dos poucos alimentos de reconhecida ação antibactericida, que contém em proporções equilibradas: fermento, vitaminas, minerais, ácidos e aminoácidos.
SABOR E COLORAÇÃO DO MEL... Produto processado a partir do néctar das flores, o mel tem sua cor e sabor diretamente relacionados com a predominância da florada. Com relação à coloração, há, basicamente, os méis claros e os méis escuros. Geralmente, os méis de coloração clara apresentam sabor e aroma mais suaves e por isso mesmo, são mais apreciados. É o caso, por exemplo, do conhecido mel de flor de laranja, obtido em pomares da fruta, que tem alta cotação no mercado. No entanto, os méis de coloração escura são sais mais ricos em proteínas e sais minerais, sendo, portanto, mais ricos do ponto de vista nutritivos. Além de vitaminas e sais minerais, o mel apresenta ainda em sua constituição proteínas, enzimas, hormônios, partículas de pólen e de cera, aminoácidos, dextrinas e um grande número de ácidos que apresenta, o ph do mel (isto é, seu grau de acidez) é de 3,9.
CRISTALIZAÇÃO... Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, a maioria dos méis puros, genuínos, acaba cristalizando-se (açucarando) com o tempo.  
O PÓLEN
Conhecido também como pão da abelhas, o pólen é um produto riquíssimo em proteínas, vitaminas e hormônios de crescimento, encerrando todos os elementos indispensáveis à vida dos organismos vivos. Sua importância é tal que basta dizer que, na falta de pólen, as abelhas não sobrevivem. É um produto tão perfeito que, até hoje, o homem não conseguiu elaborar um substituto que pudesse ser fornecido às abelhas.
Apesar de ser riquíssimo em vitaminas (principalmente A e P), proteínas e hormônios, o pólem ainda não é muito empregado como produto medicinal. No entanto, pesquisadores soviéticos asseguram que o pólen apresenta ação eficaz nos casos de anemia, regulariza o funcionamento dos intestinos, abre apetite, aumenta a capacidade de trabalhar, baixa a tensão arterial e aumenta a taxa de hemoglobina do sangue.
Por outro lado, pesquisadores franceses demonstraram que cobaias alimentadas com pequenas doses de pólen acusaram desenvolvimento mais rápido e acelerado ganho de peso.
O pólen pode ser indicado para:
  • Fortificante geral para desgaste físico e intelectual
  • Descongestiona a próstata, rins e fígado
  • Melhora a pele e fortifica os cabelos
  • Estimula o pâncreas, combatendo o diabetes
  • Favorece a virilidade e a fertilidade
  • Nos transtornos da gravidez e menopausa
  • Nas afecções orgânicas funcionais (coração, estômago, vesícula biliar e digestão)
    O pólen não é remédio e sim um alimento que fortalece o organismo.
    GELÉIA REAL
    A geléia real é um produto natural, secretado pelas abelhas jovens e contém notáveis quantidades de proteínas, lipideos, carboidratos, vitaminas, hormonônios, enzima, substâncias minerais, fatores vitais específicos, substâncias biocatalisadoras nos processos de regeneração das células, desenvolvendo uma importante ação fisiológica. Na colmeia, é utilizada na alimentação das larvas de abelhas operárias até o terceiro dia de vida, e das larvas dos zangões.
    Mas a geléia real é mais conhecida como alimento por excelência da rainha. Pode-se dizer, grosso modo, que é graças à geléia real que a abelha rainha é superior, biologicamente falando, em relação às operárias.
    Para o homem a geléia real tem ação vitalizadora e estimulante do organismo, aumenta o apetite e tem comprovado efeito antigripal. Não se conhece, na biologia e medicina, outra substância com semelhante efeito sobre o crescimento, longevidade e reprodução das espécies.

    PRÓPOLIS
    Constituída de resinas vegetais, que as abelhas coletam de determinadas árvores, cera, pólen e ácidos e gorduras, a própolis é uma substância que as abelhas processam para fechar frestas da colmeia, soldar peças e componentes móveis da sua morada e diminuir a entrada do alvado nas épocas frias.
    Seu maior interesse para o homem, no entanto, é sua ação antibiótica e anti-séptica. As abelhas empregam a própolis para impermeabilizar e envernizar as paredes da colmeia. Além disso, qualquer corpo estranho que não consiga remover para fora da colmeia- como pequenos animais mortos, camundongos , por exemplo - é encapado com uma camada de própolis, para impedir ou retardar o processo de putrefação. Desta forma, o cadáver do animal fica mumificado com a camada de própolis, e seu processo decomposição é retardado por vários anos.
    Além de propriedades antibióticas, a própolis apresenta ação imunológica, anestésica, cicatrizante e antinflamatória. Comercialmente, a própolis é vendida em solução alcoólica, em concentrações variáveis. O produto tem sido testado experimentalmente, em doenças como faringites, câncer de garganta, pulmão e infecções gerais, em diferentes concentrações.
    A própolis, sem dúvida, é um dos produtos apícolas de maior eficácia, quanto aos princípios ativos transmitidos da planta ao homem. Por ser um produto muito potente, largamente utilizado na Europa, URSS, Estados Unidos, mas pouco conhecido no Brasil, os estudiosos recomendam o seu uso com cautela, sem exagero e sempre com pouca constância (máximo de 90 dias) , pois a própolis possui a propriedade comprovada de um antibiótico natural. Assim, ela não deve ser usada como um profilático medicinal, apesar de não possuir contra- indicações.
    O VENENO DAS ABELHAS
    Apesar de ser um produto letal para o homem, quanto aplicado em grandes proporções, o veneno das abelhas é, paradoxalmente, um consagrado medicamento contra diversos distúrbios e afecções. Em países como os Estados Unidos e a União Soviética, o veneno das abelhas é um remédio popular indicado contra várias doenças. Sem dúvida, o tratamento contra o reumatismo, à base de veneno de abelha, é bastante conhecido.
    Mas a apitoxina, como é conhecido o veneno, é empregada com sucesso em tratamento contra nevrites e nevralgias, afecções cutâneas, doenças oftálmicas, na redução da taxa de colesterol do sangue contra a hipertensão arterial. No Brasil, a apitoxina é praticamente desconhecida, e sua aplicação é empírica, limitando - se aos casos de reumatismo. Nos países de maior desenvolvimento na apicultura, como os citados Estados Unidos e União Soviética, a apitoxina é administrada por meio de picadas naturais das abelhas, injeções subcutâneas, pomadas, inalações e até mesmo por comprimidos.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

ABELHAS NATIVAS SEM FERRÃO MIRIM COLHENDO PÓLEN




flôr copo de leite

flôr de vitex

DIFERENÇA ENTRE AS ABELHAS NATIVAS SEM FERRÃO MOÇA BRANCA(FRIESEOMELITTA DOEDERLEIN) E MARMELADA BRAVA/ZAMBOQUE(FRIESEOMELITTA VARIA)


A Moça branca (Frieseomelitta doederleini)  geralmente é confundida com a Frieseomelitta varia (Zamboque ou Marmelada), porém algumas observações são importantes na diferenciação, como por exemplo a entrada da colméia. A Marmelada/zamboque (F. varia) "mela" a entrada da colméia no intúito de afugentar outras espécies, o que não ocorre com a Moça branca (F. doederleini).




moça branca(frieseomelitta doederlein)              


marmelada/zamboque(frieseomelitta varia)
                                                                                abelha

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

COMO PARTICIPAR DO GRUPO ABENA...

       




                                   Untitled-1



As Abelhas Nativas Sem Ferrão ASF, ou "Abelhas Indígenas", são insetos sociais úteis para a natureza e responsáveis pela polinização de um grande número de vegetais. Por desempenharem a tarefa de fecundação da maioria das plantas, contribuem na proliferação da flora e da fauna.


Hoje o Brasil é líder em pesquisas sobre abelhas sem ferrão, tanto em número de pesquisadores, em projetos de pesquisa e na produção de artigos científicos.


Também somos líderes em número de criadores de abelhas sem ferrão e aficionados.


O grupo ABENA foi criado justamente para unir pesquisadores, criadores e aficionados, facilitando e incentivando o intercâmbio de conhecimentos entre seus membros, de forma a fomentar a união entre a ciência e a prática, colaborando de forma positiva na divulgação da meliponicultura e no incentivo à organização dos meliponicultores.

Hoje o Grupo ABENA, já ultrapassou em muito o milhar de membros e é o maior fórum sobre abelhas sem ferrão, em todo o mundo, funcionando como um repositório do conhecimento melipônico.


O grupo ABENA é um grupo moderado, para que se possa evitar a presença de hackers, a difusão de vírus ou spams, bem como para preservar à harmonia do grupo.


Qualquer pessoa pode ingressar no grupo ABENA, para isso são necessárias duas etapas:


1 - enviar uma mensagem em branco para: Abena-subscribe@yahoogrupos.com.br


2 - enviar outra mensagem com o assunto: FICHA DE INSCRIÇÃO* (veja abaixo), ao Moderador do Grupo, Gesimar: gesimar@terra.com.br


A aprovação da inscrição é condicionada ao envio prévio da ficha, com todos os dados abaixo:
Nome Completo:
E-mail:
E-mail alternativo:
Abelhas nativas que cria (Qtde por espécie):
Cidade/UF:
Endereço Postal com Cep:
Telefone: DDD+
Principal ocupação:


*Dados obrigatórios para ingresso no grupo ABENA


Através do grupo, você poderá permutar discos de cria, adquirir/ofertar colméias (renovando a genética dos seus enxames); baixar Livros, Modelos de Caixas racionais, Utensílios de manejo; Relação de Plantas melíferas, etc. Tb poderá ler e enviar mensagens.


Para acesso aos documentos, fotos, arquivos e mensagens antigas do grupo ABENA, é preciso cadastrar seu e-mail no yahoogrupos.com.br ou no yahoogroups.com, para que você possa acessar o grupo através da Web. Se você não fizer isso, só receberá a novas mensagens, através do seu e-mail e também poderá enviar e-mails para o grupo: Abena@yahoogrupos.com.br.


Estando cadastrado no Yahoo, você também pode optar por não receber e-mails e só efetuar sua leitura através da Web, para isso basta entrar no yahoogrupos.com.br, e após entrar na página do grupo ABENA, escolher o link “Opções de associação”, aí é só seguir as instruções da página.


Infelizmente, os anexos de mensagens não são arquivados, de forma que mesmo acessando as mensagens antigas através da WEB, você só vai ter acesso ao texto das mensagens. O mesmo vai acontecer com as mensagens novas, se você optar por não receber mensagens através de e-mail e só lê-las através da Web.


Os documentos do Abena estão na pasta ARQUIVOS.
Na pasta FOTOS estão as imagens das ASF.
No ícone "LINKS" outras endereços melipônicos.


Convide seus amigos para conhecerem o mundo das Nativas.
Se atualize pesquisando as mensagens já discutidas e participe enviando as suas descobertas ou dúvidas para o fórum.


Se um dia você quiser SAIR do grupo ABENA, a nossa sugestão é que reconsidere e não o faça, ao invés disso, entre na opção de associação e escolha a opção de não receber e-mails.


Se nossa sugestão não for aceita, basta olhar o rodapé das msgs e seguir o link desejado.

Seja Bem Vindo ao Grupo Abena!
Esperamos encontrá-lo em breve, participando ativamente na troca de informações.
.
.
Postagem feita pelos amigos da AME-RIO...

  " M u t r e " (Aloysia virgata)  


Alternativa para a Apicultura e Meliponicultura

Clique para Ampliar
Flor do Mutre não é nativa da região, mas apresenta condições de produção de um mel mais claro e de qualidade superior, com maior produtividade, segundo atestam pesquisadores do CVTEC
ELIZÂNGELA SANTOS
Clique para Ampliar
Entreposto para produção e comercialização dos produtos da apicultura na região do Cariri
ELIZÂNGELA SANTOS
29/5/2007 
Em Barbalha, técnicos conseguem extrair de uma caixa de abelhas até 76 quilos de mel, acima da média do Estado
Barbalha. Com a finalidade de auxiliar com novas alternativas de produção de mel na região do Cariri, estão sendo pesquisadas na sede do Centro Vocacional Tecnológico de Barbalha (CVTEC) propriedades da flor do mutre (Aloysia virgata). A espécie é originada da América Latina. Os apicultores da região, mesmo com a iniciação da pesquisa, apostam no mel do cipó uva como o preferido para exportação. Os pesquisadores do Cariri fazem a experiência com a planta há um ano, numa área pequena, de 0,6 hectare. A terceira etapa do plantio está sendo trabalhada.

Os avanços da produtividade na região têm sido significativos, no que diz respeito às técnicas empregadas para garantir maior produtividade. Essa é uma constatação dos técnicos. Com as novas técnicas e a inauguração, no final do ano passado, do entreposto do mel, os produtores terão a oportunidade de comercializar com selo de inspeção federal.

Os cursos para aprimoramento da produtividade têm sido cada vez mais comuns. O entreposto Padre Agostinho Marcondes, no local, servirá de baliza pára teste de qualidade do produto. Os apicultores terão a oportunidade de aferir qualidade ao que produzem e comercializar o produto com mais qualidade.

Essas questões foram expostas para cerca de 100 apicultores do Cariri, durante recente encontro realizado na região. Várias vertentes foram examinadas. Os produtores também foram ouvidos sobre as técnicas adotadas na produção e no processamento do mel.

O controle de qualidade no processamento do mel foi apresentado pela tecnóloga de alimentos, Emonalisa Lucena, responsável pelo entreposto. Os apicultores tiveram a oportunidade de conhecer de perto o local e as técnicas empregadas de processamento, desde a preparação, higienização e assepsia das pessoas que atuam no local. As discussões para implantação do entreposto foram iniciadas através do Fórum da Mesorregião do Araripe — uma oportunidade para vender o mel com qualidade na região.

O técnico Wagner Santos abordou a questão da técnica e manejo na colheita do mel. Segundo ele, a experiência com o mutre no Estado foi realizada por meio de pesquisas na Universidade Federal do Ceará (UFC), em 1996, mas em pequena escala. A decisão de realizar o trabalho em nível de pesquisa demonstra a possibilidade de produção por meio de irrigação e adubação orgânica. O resultado, ressalta, é um mel de qualidade, claro e com grande teor protéico, sem nenhuma quantidade de açúcar, como o teor encontrado no mel da flor do marmeleiro e bamburral. “A vantagem do mel da flor mutre é ele se assemelhar a do cipó uva, melhor em qualidade extraído da região, para os europeus, por ser claro e de fácil aceitação no mercado”, diz.

O técnico afirma as controvérsias dos produtores, por estar sendo introduzida uma cultura estranha na área. Wagner diz que a intenção é testar, por meio de pesquisa, novas possibilidades de adequação para o mercado. O professor Carlos Pedro Costa destacou o reflorestamento para o pasto e os impactos no meio ambiente.

Os resultados com as novas adequações são positivos. Em Barbalha, os técnicos conseguem extrair de uma caixa de abelhas de 33,5 quilos a 76 quilos de mel, enquanto a média no Estado é de 20 quilos a 30 quilos. “O manejo é importante. Há 10 anos a média de produção era de apenas 10 quilos”, diz Wagner Santos.

Mais informações:Centro Vocacional Tecnológico (CVTEC), onde funciona um entreposto de mel
Município de Barbalha
(88) 3532. 2311 (88) 3532.0801

Comente
regional@diariodonordeste.com.br

ELIZÂNGELA SANTOSRepórter